Tag: UNS Idiomas

Marcel Magalhães, presidente da UNS Idiomas, fala sobre sua trajetória profissional no site Novo Negócio

Marcel Magalhães e as ideias inovadoras da UNS Idiomas

Por Vinícius Gonçalves

Marcel Magalhães começou de baixo: foi office boy e assistente administrativo até chegar um cargo executivo em um banco privado, onde ficou por cinco anos. Sem desafios decidiu mudar de área. candidatou-se a uma vaga de trainne comercial em uma rede de escolas de idiomas, em 1998. Cresceu, virou diretor e acreditou em um negócio. Foi assim que surgiu a UNS Idiomas.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo 

UNS Idiomas - Novo Negócio Starup

Marcel Magalhães, diretor da UNS Idiomas, é destaque como empresário inovador em matéria da revista Empreendedor

Espírito Inovador

Imagine um empresário que do nada decide que visitará todas as unidades de rede para ver performance de atuação e captar ideias de fraqueados e alunos. Ou decide que precisa sair da mesmice e cria um curso nomeado “UNS Experience”, desenvolvido para a terceira idade. Este personagem é Marcel Magalhães, proprietário da UNS Idiomas, conhecido no meio empresarial como “o empreendedor que vive de inovação”.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo 

 

 

Busca de franqueados pela UNS Idiomas em Brasília é destaque na revista Brasília Em Dia

UNS Idiomas deve inaugurar três unidades em Brasília

Diante da expectativa de crescimento de 50%  nos próximos cinco anos, principalmente por conta da proximidade dos eventos esportivos, a UNS Idiomas estima abertura de três novas escolas  em Brasília e já inicia a seleção de franqueados interessados em ingressar no mercado. Com este foco, a marca realizou, no último dia 23 de maio, um Road Show para empresários e empreendedores interessados em abrir uma escola da rede.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo 

Expansão da UNS Idiomas no Distrito Federal é notícia no Correio Braziliense

Sucesso made in Brasília

Por Gizella Rodrigues

O setor de franquias está em expansão no Distrito Federal. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostram que, no fim de 2012, existiam 1.520 unidades franqueadas em operação na cidade, a maioria delas (345) no ramo de alimentação. O mercado é dominado por marcas nascidas em outros estados e atraídas para a capital pelo potencial de consumidores com alto poder aquisitivo. As já instaladas querem se expandir pelas regiões administrativas e as que não chegaram desejam conquistar o brasiliense.

Aquele que pretende investir na UNS Idiomas tem que desembolsar entre R$ 90 mil e R$180 mil. A franquia promete faturamento bruto médio de R$ 50 mil por mês. “O DF está no foco da empresa por ser uma região com grande desenvolvimento e economia aquecida”, afirma Carlos Coelho, gerente de expansão da marca. Três escolas da rede, fundada há 10 anos em São Paulo, já funcionam no DF.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Coelho, da UNS Idiomas, fala ao Valor Econômico sobre conversão de bandeira no setor de franchising

Estratégia ideal para conquistar o interior

Por Kátia Simões

De um lado, o pequeno empresário com boa clientela e tradição, que teme ser engolido pela concorrência. Do outro, grandes redes em busca de candidatos a franqueados com vasta experiência, domínio da região em que atuam, reconhecimento da clientela e pontos já instalados. Some a isso o crescimento da demanda por marcas conhecidas em cidades com menos de 200 mil habitantes e está criado o cenário para explicar o sucesso das  franquias de conversão, que transformam negócios independentes em unidades franqueadas.

Carlos Coelho, gerente de franquias da UNS Idiomas, conhece bem o peso da aculturação dos novos parceiros para o sucesso da rede. “As pessoas chegam com seus próprios métodos de ensino e de gestão, muitas vezes com vícios”, declara. “Temos que quebrar alguns paradigmas para incutir o DNA da rede. Com isso, o tempo de maturação da franquia pode aumentar”.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo

 

 

 

 

 

 

Marcel Magalhães, diretor da UNS Idiomas, fala ao jornal O Globo sobre programa de qualidade implementado na rede

Cara a cara com o cliente

A UNS idiomas inicia um novo programa chamado “Face to face”, em que o presidente Marcel Magalhães faz uma visita informal, mas de surpresa, a todas as unidades da rede, para checar se elas estão atuando segundo o perfil da franquia e para avaliar o nível de satisfação dos alunos:

“Acredito que muitas inovações podem sair do cliente, por isso, considero fundamental ouvir nossos alunos. Além disso, preciso saber se o treinamento oferecido está sendo aplicado e se a identidade visual está funcionando como deveria”

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo

Diretor da UNS Idiomas fala ao Jornal do Comércio (MG) sobre cursos para executivos nas férias

Profissionais usam férias para estudar

Por Julia Duarte

Um semestre em um mês

O período de férias também é o momento de adiantar os estudos quando o assunto é idioma. Muitos alunos aproveitam para cursar um módulo inteiro em apenas um mês.

Na UNS Idiomas a demanda maior nesta época do ano é pelo curso intensivo completo, que dura um ano e meio. Neste ano, especialmente, a procura está ainda maior. O gerente de franquias da rede, Carlos Coelho, afirma que a Copa do Mundo, em junho de 2014, está fazendo com que as pessoas corram contra o tempo quando o assunto é o ensino de inglês.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Guia Para Montar Seu Próprio Negócio entrevista diretor da UNS Idiomas em matéria sobre franquias de educação

A hora é agora

Por Luciana Fuoco

A abertura de uma escola de idiomas no Brasil é uma das opções de investimentos que apresentam grande potencial de crescimento para os próximos anos.

De olho na concorrência
Se o mercado está aquecido é inevitável que a concorrência se estabeleça e, nesse setor, não é diferente. Para Carlos Coelho, gerente de franquias da UNS Idiomas, superar concorrentes demanda oferecer produtos e serviços diferenciados, com foco principalmente naquilo que o consumidor busca.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Especial Novos Empreendedores, da revista Meu Próprio Negócio, destaca história de sucesso da rede UNS Idiomas

Do zero ao milhão

Por Milton Correia Jr.

Uma escola de idiomas com método diferenciado de aprendizado e voltada para um público-alvo bem definido foram os fatores que levaram o empresário Marcel Magalhães – mesmo com pouco investimento -, em apenas um ano e meio, a atingir faturamento anual de R$ 1 milhão.

Formado em administração de empresas, Magalhães havia trabalhado em uma multinacional e em um banco antes de ser contratado como assistente comercial de uma escola de inglês em Goiânia. Lá, iniciou o desenvolvimento do projeto de expansão das unidades da escola por todo o Brasil e, assim, ganhou experiência e cresceu profissionalmente. Em 1999, ao ser transferido para São Paulo, Magalhães – na época com 27 anos e no cargo de diretor comercial -, já tinha uma visão própria de como um bom negócio deveria ser conduzido. Assim, decidiu desligar-se da rede e, com sua esposa, abriu em 2003 sua próprioa escola, a UNS Idiomas.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

O Estado de S.Paulo destaca UNS Idiomas em matéria sobre crescimento do setor nos anos que antecedem a Copa de 2014

Setor de idiomas ganha espaço com a Copa

Por Cris Olivette

A Realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no País está impulsionando o mercado de ensino de idiomas. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostram que em 2011 o setor da educação movimentou R$ 3,1 bilhões, registrando crescimento de 11%. “A necessidade de os brasileiros aprenderem uma segunda língua vai continuar aquecendo o setor nos próximos anos, mantendo o crescimento acima de dois dígitos”, diz o diretor administrativo da ABF, José Semenzato.

O aluno do quarto semestre de hotelaria Fabrício Paulino Peixoto, de 22 anos, estuda na UNS Idiomas há 13 meses. “Espero ter um bom vocabulário quando a competição chegar. Dentro de seis meses concluo o curso, mas vou continuar estudando para praticar até o final de 2013. Depois, quero aprender espanhol”, diz jovem, que trabalha num hotel em Moema. O gerente de franquias da UNS, Carlos Coelho, diz que em 2012 houve aumento significativo na demanda. “As matrículas cresceram de 10% a 15% sobre a média comum de rede.”

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Franqueada da UNS Idiomas participa de matéria no jornal Brasil Econômico sobre carreira e maternidade

Acerte na escolha dos serviços para cuidar do seu bebê

Por Marília Almeida

Marissa Mayer, que assumiu a presidência do Yahoo! em julho grávida de seis meses, anunciou recentemente que sua licença maternidade (o bebê nasceu dia 30) seria de apenas duas semanas. Abrir mão de um período com o filho recém-nascido é uma decisão cada vez mais comum à medida que a mulher conquista cargos – e salários – mais altos.

Fabiana Pardo, 37 anos, franqueada da UNS Idiomas, tem duas filhas e optou por uma babá para cuidar de ambas até completarem um ano e meio.

Para ler a matéria completa, clique na imagem abaixo 

Portal UOL destaca UNS Idiomas e Sorridents em matéria sobre franquias em cidades do interior

Franquias criam unidades compactas para cidades do interior a partir de R$ 47 mil

Por Afonso Ferreira

A forte concorrência e a alta nos aluguéis comerciais nas capitais têm levado muitas redes de franquias em expansão a buscar o interior do país. Para atuar em cidades de menor porte, elas criaram formatos compactos de unidades, com menos serviços ou com descontos no valor de investimento.

Em cidades com até 100 mil habitantes, é possível de abrir uma unidade da rede de clínicas odontológicas Sorridents com quatro consultórios. No formato padrão, o número mínimo é seis.

Já na UNS Idiomas, a taxa de franquia cai conforme a quantidade de habitantes do munícipio.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

 

 

Sorridents, UNS Idiomas e Pires & Gonçalves Advogados entram em matéria do Valor Econômico sobre sociedade e casamento

Sociedade entre casais vai além das expectativas

Por Carmen Lígia Torres

A sociedade empresarial costumava ser comparada ao casamento: é difícil e trabalhosa, e não são raros os casos em que os maiores problemas de gestão estão justamente da falta de acordo entre os sócios. Quando os parceiros são casados, então, a tendência, aparentemente, seria de aumentarem os conflitos.

Na prática, no entanto, casos bem-sucedidos de empresas tocadas por casais afinados no negócio provam que, se houver disposição e empenho, o resultado pode superar em muito outros tipos de sociedade empresarial.

“Quando há o respeito profissional, a sinergia e o envolvimento do casal no negócio só podem gerar bons frutos para o negócio”, acredita Marcel Magalhães, sócio de Érika Magalhães na UNS Idiomas.

Ellen Pires, sócia de seu marido, Ventura Gonçalves, no P&G Advogados, também acredita que os resultados compensam o esforço para superar os desafios que o casal enfrenta em sociedades empresariais. “Não é tarefa simples, mas o negócio fica mais sólido quando há o alinhamento dos dois em torno da empresa.”

Para Carla Sarni e Cléber Soares, sócios da Sorridents, rede de serviços odontológicos com 185 unidades espalhadas pelo Brasil, a conscientização sobre a necessidade de separar as dimensões pessoal e profissional foi um processo gradativo. “No Início da empresa, levávamos os problemas para casa, respirando a empresa 100% do tempo”, conta Carla.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo