Tag: inovação

Revista Forbes Brasil indica livro infantil sobre inovação de Valter Pieracciani

LeaderBoard – Leitura infantil

Criando pequenos prodígios

As opções de livros infantis são muitas – há os famosos contos de fada, os didáticos, as séries, os clássicos e os engraçados. Mas por que não deixar de lado um pouco o “era uma vez” e ensinar, de forma divertida, às crianças desde cedo valores como empreender, inovar e conceitos importantes como política?

A Verdadeira Mágica

Escrito pelo engenheiro e empresário Valter Pieracciani, o livro conta com uma série de ilustrações, uma brincadeira e um guia prático para pais e educadores.

Para visualizar a indicação na íntegra, clique na imagem abaixo:

Forbes valter

Valter Pieracciani, da Pier, fala sobre a Lei do Bem na revista Época Negócios

Copo cheio , copo vazio

O GOVERNO COMEMOROU os números do relatório mais recente sobre a adesão à Lei do Bem, que prevê isenções para companhias que investem em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). Segundo a publicação, referente ao ano-base de 2012, 1.042 empresas aderiam à norma, número 8% maior que no ano anterior. No entanto, especialistas que se debruçaram sobre os dados devem sinais vermelhos. O investimento total das empresas em PD&I ficou em R$5,34 bilhões, 22% a menos do que  em 2011. Para Valter Pieracciani, sócio da consultoria especializada Pier, os resultados são “assustadores”: “Precisamos quadruplicar nossos índices para evitar desindustrialização. Em vez disso, estamos freando a inovação no Brasil”, afirma.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo 

Pieracciani - Época Negócios

Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, fala à revista Época sobre bilionários inventores

Estes bilionários malucos…

… e suas invenções maravilhosas. Elon Musk, Jeff Bezos, Sergey Brin, Richard Branson e tantos outros  querem usar sua fortuna para transformar o impossível em realidade.

Por Marcos Coronato

O bilionário sul-africano e inventor Elon Musk estava sentado no bar de hotel chique em Mônaco, quando o bilionário americano, inventor e super-herói Tony Stark se aproximou da mesa e o cumprimentou. “Elon, aqueles motores de foguete são fantásticos”, disse Stark. “É? tenho uma ideia para um jato elétrico”, afirmou Musk. A cena dura alguns segundos do filme Homem de Ferro 2. Ao contracenar com um personagem de ficção, Musk apresentou ao mundo real uma eficiente mensagem de marketing.

Como o herói do filme, Musk quer ser reconhecido. Fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla Motors, Musk faz parte de um grupo pequeno de ultrarricos com dotes visionários, inventividade e imensa habilidade para o marketing pessoal. “É ótimo que esses bilionários existam. Espero que eles queiram entrar para  história e não apenas aparecer”, diz o consultor e especialista em inovação Valter Pieracciani.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo 

 

Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, fala sobre metodologias de inovação ao jornal Valor Econômico

Metodologias levam em conta inteligência coletiva

Por Martha Funke

Os nomes variam. Mas as metodologias mais utilizadas hoje para gerar — e gerir — a inovação levam em conta, acima de tudo, a inteligência coletiva. O resultado é que está mais fácil encontrar boas ideias e o desafio passou a ser filtrá-las e selecionar aquelas que chegarão aos clientes.

Crowdsourcing e open innovation estão entre os modelos mais modernos na busca da inovação. Parecidos, buscam insights junto aos diferentes agentes da organização, desde pesquisadores e cientistas até parceiros, clientes, entusiastas e anônimos em geral.

Segundo o especialista Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas e cujos cursos já formaram 115 black belts em inovação (profissionais especialmente treinados para aplicação das metodologias) no país, o design thinking tira proveito de percepções extraídas de grupos de intérpretes compostos por representantes de diversos públicos, como formadores de opinião, consumidores ou funcionários. “Estamos montando um black belt no Brasil com foco em alimentação”, adianta.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Jornal da Globo entrevista Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, sobre pacote de inovação anunciado pelo governo federal

Governo anuncia pacote para incentivar inovação em empresas

“Em alguns anos, três a cinco anos, nós teremos dois tipos de empresas, as inovadoras e as falidas. Não é possível competir sem inovação e, quanto antes os empresários souberem disso, melhor é”, diz Valter Pieracciani, consultor de empresas.

Em coro com os especialistas em competitividade, o governo quer incentivar o investimento em inovação. A presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 32,9 bilhões para projetos na indústria, agricultura e serviços.

Para ver a reportagem na íntegra, clique na imagem abaixo

TV Globo – Jornal da Globo

GVP IT Solutions é destaque em matéria do Brasil Econômico sobre inovação no QR Code

O jeito de agilizar os canais de atendimento na empresa

Por Carolina Marcelino

O mercado brasileiro, especialmente as agências de marketing e publicidade, vêm utilizando variados recursos digitais para promover a interação entre as empresas anunciantes e seu público. Nos últimos dois anos, um dos recursos que mais ganhou campo foi o QR Code (do inglês Quick Response).

A novidade, agora, é o uso inovador proposto pela GVP IT Solutions – empresa especializada em tecnologia e inovação empresarial. Segundo o Supervisor de Relacionamento da companhia, Daniel Yokosawa, o QR Code pode ser utilizado estrategicamente  para levar o consumidor diretamente aos canais de atendimento das empresas, especialmente o chat mobile.

“O objetivo é facilitar o contato entre as partes, melhorar o atendimento ao cliente, fidelizar aquele  interlocutor e aperfeiçoar a performance de vendas, seja qual for o ramo de atividade da empresa”, conta.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

José Hernani Filho, da Pier Consult, participa de matéria sobre a Lei do Bem no jornal DCI

Benefício da Lei do Bem deve abranger optantes do Simples

Por Fernanda Bompan

O governo de Dilma Rousseff vem demonstrando que quer aumentar os investimentos de inovação em diversos setores, exemplo disso é que até o fim desse mês deve ser anunciado um conjunto de medidas que inclui linha de crédito subsidiado de quase R$ 30 bilhões para financiar investimentos.

Segundo José Hernani Filho, um dos sócios da Pier Consult – empresa especializada em Gestão de Inovação -, existe um conjunto de motivos para as empresas não investirem mais. “Falta tradição em direcionar recursos pelos brasileiros, incluindo gestores de grandes empresas, em pesquisa e desenvolvimento, além de que poucos sabem o modo certo para inovar. E a nossa economia ainda é muito fechada”, diz o especialista.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Revista segmentada Projeto Pack destaca expertise da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas em Design Driven Innovation

Design-Driven Innovation

A Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, consultoria de gestão com foco em inovação que está há 20 anos no mercado, anuncia parceria estratégia com o italizano Roberto Verganti, professor de Gestão da Inovação na Politécnica de Milão, professor convidado na Harvard Business School e na Copenhagen Business School, autor do livro “Design-Driven Innovation”, lançado no Brasil em maio pela editora Canal Certo, braço da Pieracciani.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Case de sucesso da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas é destaque em matéria de quatro páginas na Época Negócios

Acabou a dor de cotovelo 

Por Marcelo Cabral

Os cotovelos de Gábor Deák estavam doendo. Presidente da unidade brasileira da fabricante de componentes automotivos Delphi, ele diz que sempre sentia uma pontinha de ciúme quando visitava a sede global da empresa e via placas sobre produtos inovadores da Índia, da China, dos EUA, mas nenhum do Brasil.  Algo precisava mudar.

A saída encontrada pelo executivo atende pela sigla ABNT 16.501.Por trás dessa sopa de letras e números há uma norma criada no final do ano passado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas com o objetivo  de gerir processos inovadores dentro das empresas nacionais. Num trabalho pilotado por Valter Pieracciani, membro da comissão que criou a 16.501 e sócio da consultoria Pieracciani, a Delphi ajustou todos os seus procedimentos e se tornou a primeira companhia a obter o selo.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, fala ao Valor Econômico sobre linhas de crédito para inovação

Governo pode lançar mais linhas de crédito para pesquisa 

Por Alessandra Saraiva

O governo estuda uma série de novas linhas de financiamento à inovação, voltadas para setores mais carentes em investimento em pesquisa e desenvolvimento. O formato dos novos programas pode ser similar ao do Inova Petro, linha elaborada por meio de parceria entre Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Petrobras, para a cadeia de petróleo e gás, detalhou ontem o presidente do banco, Luciano Coutinho.

Para a consultoria paulistana Pieracciani, especializada em gestão de inovação, já existem bons instrumentos de financiamento para inovação. Mas o direcionamento do crédito poderia ser mais voltado para o setor de serviços, e não concentrado no setor industrial, como ocorre hoje, avaliou o sócio-fundador da consultoria, Valter Pieracciani. “A indústria sempre é lembrada primeiro.”

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Valor Econômico entrevista diretor da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas sobre inovação guiada pelo design

Forma e conteúdo

Por Jacílio Saraiva

A beleza abre portas. Pelos menos para as empresas que querem se destacar da concorrência e ganhar consumidores com a ajuda do design. Empreendedores de diferentes segmentos ouvidos pelo Valor Ecomônico confirmam um aumento de até 30% nas vendas depois dos investimentos em novos desenhos de mercadorias, embalagens e pontos de venda.

Projeto deve tocar a emoção do consumidor

Para Valter Pieracciani, sócio da consultoria Pieracciani, especializada em inovação, as empresas devem afetar as emoções do consumidor. “Deve-se acreditar na relação emocional e no afeto que as pessoas podem alimentar por determinados produtos”, diz. Para quem tem poucos recursos para contratar uma agência de design, a dica do especialista é apostar na prata da casa. “Pode-se capacitar equipes internas e ter um retorno em inovação guiada pelo design.”

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo 

Revista Varejo & Oportunidades entrevista diretor da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas sobre inovação

Varejo redesenha as fronteiras da inovação

Por Gerson Genaro

Os tempos mudaram. Os grandes investimentos em inovação, atualmente, procuram assegurar maior proximidade com os consumidores. Boa parte dos novos modelos de negócios, serviços e tecnologias voltadas para o varejo insere justamente a maior pressão exercida pela ponta do consumo em busca de conveniência, um estímulo poderoso para as empresas varejistas serem inovadoras para atender melhor o cliente. 

Segundo Valter Pieracciani, sócio-diretor da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas e autor de livros sobre o tema, em breve teremos um P&D diferente. “A área será composta por jovens engenheiros e matemáticos descontraídos em frente a computadores com a incumbência de fazer simulações, elaborar e desenvolver novas formas de comprar e vender. E assim transformar em matéria-prima para a inovação o valioso conhecimento gerado diretamente no contato com o cliente”, diz.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

José Hernani, sócio da Pieracciani, fala à revista Cliente SA sobre a necessidade de inovação nas empresas

Não vá perder o bonde!

O que ontem era tendência, hoje já ficou para trás. Exemplo? Até há alguns meses, estar presente nas redes sociais era sinal de inovação, agora quem não está lá é dito como ultrapassado. Não bastasse a maior velocidade com que se dá a evolução das tecnologias e dos processos de relacionamento, a exigência para que as empresas acompanhem as novas necessidades do mercado nunca foi tão alta. Ficar parado é correr o risco de perder seu principal ativo: o cliente. “A empresa que permanecer estática pode ser atropelada pelos concorrentes, que estão fazendo melhor sua lição de casa”, alerta José Hernani Arrym Filho, sócio da Pieracciani, consultoria de gestão da inovação.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo 

Sócio da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas fala sobre inovação à revista ProXXIma

Criatividade e inovação com gingado brasileiro

Por Alexandrina Macedo e  Roberta Queiroz

Inovação significa novidade ou renovação. Pode ser uma ideia, um processo, um produto ou serviço novo ou que pouco se parece com os padrões anteriores. Em marketing, em especial no ambiente digital, que está sempre em transformação, inovação é um desafio perseguido por agências e anunciantes. “.

De fato, um dos maiores desafios das empresas, independentemente do segmento em que atuam, é incorporar a inovação dentro  de uma estratégia de médio prazo. “Inovação exige disciplina. É preciso tornar o processo de gestão da inovação sistemático”, afirma Hernani Arrym Filho, sócio da Pieracciani, consultoria de gestão com foco em inovação.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

Valter Pieracciani, da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, fala sobre inovação empresarial à revista Profissional & Negócios

Inovação sem neura

A cobrança excessiva pela criatividade latente e a inovação obrigatória têm deixado profissionais com os cabelos em pé. Mas será que há motivo para tanto desespero? Para o sócio-fundador da consultoria de gestão da inovação, Pieracciani, Valter Pieracciani, não faz sentido cobrar inovação.

A inovação nas empresas é um processo gerenciável, mas não pode olhar apenas os resultados e cobrar. “No campo da inovação, os dirigentes são ‘fornecedores’, ou seja, são eles que criam na empresa e nas pessoas as condições necessárias para que a inovação aconteça repetida, sistematicamente”, diz.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo