Category: Internet

poder-da-influencia

O poder da influência

O primeiro episódio da terceira temporada de Black Mirror, série original da Netflix, mostra uma sociedade cuja moeda corrente é a influência digital. A trama apresenta a vida de uma moça com pontuação de 4,2 estrelas que se desespera para alcançar um score melhor ao receber o convite de casamento de uma amiga com 4,9 estrelas. Parece absurdo, mas não é.

Com a popularização da internet todos nós passamos a ser produtores e disseminadores de conteúdo. Essa produção intelectual virou negócio. Fóruns no mIRC deram lugar a plataformas de troca de arquivos, salas de bate-papo foram substituídas por redes sociais, youtubers conquistam audiências que fariam inveja a emissoras de tevê, blogueiros são integrados a grandes portais de notícias, tuiteiros viram marketeiros de políticos e grandes empresas, instagramers tornam-se celebridades. A transformação se acontece à medida que essas pessoas, que até então cidadãos comuns, alcançam cada vez mais audiência e passam a ser formadores de opinião.

O  que faz com que usuários comuns virarem influenciadores? O tempo dedicado à construção da própria marca. Todas as redes sociais possuem métricas e indicadores de resultado. Quem cresce em audiência simplesmente está entendendo quais indicadores devem direcionar sua produção de conteúdo. O retorno disso é o engajamento que seu material alcança.

Quanto vale o like?

Estudos indicam que as redes sociais representam um dos principais motivos de depressão na adolescência e no começo da vida adulta. Empresas entendem que o like em seu conteúdo social indica um possível crescimento em suas vendas, assim como a queda no número de likes pode indicar sinais de crise.

Mark Zuckerberg, criador do Facebook, foi relutante sobre o uso publicitário de sua rede social. O mesmo Mark Zuckerberg hoje muda as regras de publicidade frequentemente para que os profissionais de comunicação e marketing sejam mais criativos e explorem mais possibilidades de ganhar relevância orgânica em sua plataforma.

Em tese, isso significa que quem não investe, não aparece. E isso é praticamente lei para muitas empresas. Há, porém, aquelas que investem em melhores equipes de conteúdo e num trabalho mecânico muito utilizado no começo da comunicação em redes sociais — o seeding. Diferente do spamming, o seeding é feito por perfis pessoais — normalmente community managers ou pessoas ligadas a marca que possuem boa reputação ou score. Esses perfis compartilham o conteúdo de uma empresa/site/portal em suas redes particulares e em grupos de usuários que podem se identificar com tal assunto.

O trabalho de seeding deve ser cauteloso para que quem o faz não sofra queda em seu score ou reputação. É muito importante que a pessoa responsável pelo seeding possa falar pela marca e participar de debates ativamente, de forma que os mecanismos anti-spam das redes sociais não  bloqueiem.

O Buzzfeed é um bom exemplo de plataforma que utiliza bastante o trabalho de seeding. Os colaboradores da empresa compartilham em massa seus conteúdos, de forma a aumentar o poder viral de cada post. Toda vez que a empresa abre uma nova área de conteúdo, esta área ganha canais exclusivos para si nas redes sociais. Para conquistar seguidores, porém, a página principal do site também compartilha os conteúdos das novas páginas.

O exemplo mais recente deste tipo de trabalho realizado pelo Buzzfeed é a página “Todo dia um teste diferente do Buzzfeed”, criada em 28/07. Três dias depois de sua criação, a página já conquistou mais de 22 mil seguidores — todos de forma orgânica.

Social Selling Index (SSI)

O Linkedin criou uma métrica chamada Social Selling Index, que atribui aos usuários o seu potencial de venda social. A ferramenta é destinada apenas a usuários, e não a Company Pages, e serve para definir o poder de venda do perfil a partir das interações que ele faz, da relevância dos conteúdos que ele publica e de sua participação em debates.

O princípio do Social Selling Index é o mesmo do seeding, mas a premissa é mais interessante se aplicada ao mundo dos negócios: ninguém pode explicar melhor que você sobre o seu trabalho, suas dificuldades e suas conquistas. Assim, se você é um usuário relevante na rede, as suas chances de gerar negócios para a sua empresa aumentam.

Um bom exemplo disso é o perfil de Luiza Helena Trajano, a presidente do Magazine Luiza. A Company Page da marca tem um média 4,2% de engajamento com seus conteúdos. Luiza alcança engajamentos de 15 a 18% com artigos ou compartilhamentos de links.

Quão influente você é?

Existem diversas plataformas que indicam o nível de influência e os principais tópicos de domínio de todos os usuários. A mais conhecida delas é a Klout — criada em 2012 para medir o score viral dos usuários do Twitter. Posteriormente a Klout passou a analisar a pontuação das pessoas por tópico de interesse e em todas as redes sociais — indicando qual plataforma social oferece este produtor de conteúdo sua maior audiência e quais são seus principais temas de sucesso.

Estas ferramentas mensuram a participação em discussões, o número de publicações feitas diariamente, os tipos de conteúdo que mais geram engajamento de outros usuários (respostas, compartilhamentos, curtidas) e indicam em quais áreas de maior ou menor influência, de forma que ele minimize seus esforços e produza um conteúdo mais certeiro para seu público cativo.

Influenciador ou celebridade?

Adolescentes e jovens adultos sonham em ser youtubers. Isso acontece porque nomes como Felipe Neto, PC Siqueira, Kéfera e Whindersson Nunes, dentre muitos outros, conquistaram a fama a partir de uma estrutura básica de produção — uma câmera na mão e uma ideia na cabeça.

Conforme suas audiências aumentam, os youtubers passam a ter retorno financeiro — através do próprio Google, no formato de AdSense, mas também através de contrato com marcas que pagam ao dono do canal pela divulgação de seu produto ou serviço.

O trabalho de criação de uma marca pessoal em ambiente digital é de longo prazo e de atualização constante. Muitos jovens desistem deste “sonho” quando percebem o tanto de tempo que este tipo de construção de imagem toma.

Para fins corporativos não é diferente. A não ser que sua empresa possa investir pesado em anúncios online para gerar tráfego e possua uma equipe de conteúdo, dificilmente seus negócios crescerão no ambiente online do dia para a noite. A matemática do marketing digital é simples — quanto mais dinheiro se investe, maior e mais rápido é o seu retorno. O conteúdo é essencial de toda forma já que quanto melhor for seu material, maior será sua pontuação de indexação pelos mecanismos de busca e redes sociais.

Se você só investe em anúncios, mas o conteúdo não é grande coisa, seu retorno é mais rápido, mas é também limitado. Para fugir deste tipo de problema o essencial é fazer um planejamento bastante completo antes de começar a agir em ambiente digital. Entender quem são seus concorrentes, como eles se comportam, de que forma o seu material pode ser mais relevante ou mais completo que o dele, a periodicidade de publicações em cada plataforma social que for utilizada e assim por diante. Assim a sua estratégia é traçada de maneira completa e funcional.

Quer bater um papo sobre estratégia digital? Entre em contato conosco.

Tributarie, empresa do Grupo Brugnara, tem aumento de 700% no tráfego do site após divulgação no Portal Exame

A Tributarie, franquia de gestão fiscal do Grupo Brugnara, registra aumento de 700% em tráfego em seu site após divulgação em matéria no Portal Exame. A reportagem, que leva o título “20 opções de franquias para quem pode investir até R$ 20 mil”, fala sobre os pontos principais do novo modelo de negócios da Tributarie, o e-Tax.

Confira abaixo os gráficos extraídos do Google Analyitcs sobre o aumento de tráfego no site da Tributarie após a divulgação da matéria em no último dia 17.

tributarie-brugnara

CGI na matéria de capa da revista Brasil Energia

Internet das Coisas é o tema da matéria que contou com entrevista de Marco Afonso, diretor de consultoria em utilities da CGI

A matéria de capa da revista Brasil Energia do mês de abril teve como tema a digitalização dos serviços de energia – da distribuição à medição de consumo. O tema – a Internet das Coisas – já muito difundido no setor industrial, leva em consideração a modernização de estruturas, instalações, relações de consumo e manutenção de instalações elétricas, além de discutir tendências do setor para os próximos anos.
Marco Afonso, diretor de consultoria em utilities da canadense CGI falou à revista sobre a necessidade de investimentos em modernização das redes de energia elétrica no Brasil e demonstra otimismo ao prever que o volume de investimentos no setor tende a crescer nos próximos anos de acordo com as demandas do setor industrial.
Afonso também comentou sobre o consumo residencial de energia elétrica. Ele considerou que a tendência é ampliar o número de dispositivos inteligentes que medem e otimizam por si próprios o consumo de energia.
Confira abaixo a matéria na íntegra.

Revista Brasil Energia_impressa_Capa_MarcoAfonso_AbrilRevista Brasil Energia_impressa_16_17_MarcoAfonso_AbrilRevista Brasil Energia_impressa_18_19_MarcoAfonso_AbrilRevista Brasil Energia_impressa_20_MarcoAfonso_Abril

Computer World destaca parceria entre Finnet e Tableau Software

Finnet firma acordo para a venda de treinamentos e licenças da Tableau

Por Sidney Junior

A Finnet, especializada em soluções de TI para fluxo de dados financeiros, firmou acordo para a venda de licenças e treinamentos no Brasil do sistema da Tableau Software, empresa de tecnologia com foco em análise de dados. O objetivo da Finnet é ampliar seus serviços de Business Intelligence (BI) e oferecer ao mercado uma ferramenta de aplicação e uso facilitados.

Segundo a gerente comercial da Finnet, Danielle Raposo, uma das características importantes da ferramenta é conseguir mostrar claramente as informações estratégicas de uma empresa sem demandar participação expressiva de um profissional. “Para um executivo que precisa controlar melhor as informações geradas em determinado departamento, o uso do sistema Tableau é vantajoso porque a tabulação é feita de maneira simplificada e didática, otimizando processos e tornando mais ágil a tarefa de entender dados para melhor orientar os planos do negócio”, explica.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Portal Exame.com indica em matéria a Casa do Construtor como opção de investimento em franquia

Veja quais são as 20 franquias mais caras do Brasil

Por Mariana Fonseca

Casa do Construtor – R$ 555 mil

A Casa do Construtor é uma franqueadora especializada na locação de equipamentos para construção civil. Fundada em 1993, a rede atua no franchising desde 1998. O faturamento médio mensal de uma unidade franqueada é de 90 mil reais.

Investimento inicial: 555 mil reais
Prazo de retorno: 36 meses

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Cobertura da imprensa na Expo Franchising 2016 gera visibilidade para clientes Ideias & Efeito

O saldo de imprensa dos clientes da Ideias & Efeito Comunicação na Expo Franchising 2016, que aconteceu na semana passada, em São Paulo, foi pra lá de positivo. Juntos, os executivos das redes Casa do Construtor, Jin Jin, Doutor Lubrifica e Evolute Cursos deram 33 entrevistas a veículos como GloboNews, Valor Econômico, DCI, UOL, IG, PEGN, Exame.com, revista Meu Próprio Negócio, revista Franquias & Negócios, entre outros.

Os resultados são fruto de uma estratégia planejada especificamente para o evento e colocada em prática com antecedência. Durante a feira e também previamente, a equipe da agência não só monitorou quais jornalistas estariam por lá e com quais demandas, como pautou boa parte deles com sugestões inteligentes e direcionadas ao perfil editorial de cada um.

Na imagem abaixo, o diretor da Doutor Lubrificaentrevista para o jornal Conta Corrente, da GloboNews. A matéria vai ao ar na quarta-feira (22/06).

 

IMG_4146

 

 

Especialista em recuperação de crédito da PH3A fala ao jornal O Globo sobre renegociação de dívidas

Os direitos na hora de renegociar as dívidas

Com desemprego em alta, especialistas apontam quais os cuidados de quem precisa acertar as contas

Por Ione Luques e Priscilla Aguiar Litwak

Neste momento de crise, órgãos de defesa do consumidor alertam que há direitos a se defender nas renegociações de dívidas.

Marcelo Monteiro, especialista em mercado de recuperação de créditos e diretor de Novos Negócios da PH3A, diz que, ao renegociar, seja com banco, loja ou prestador de serviço, o mais importante é analisar os aspectos financeiros da dívida: se o valor está correto, se os juros aplicados são os contratados, se as condições propostas são justas e se cabem no bolso do devedor.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

O Globo Ph3a

 

 

Canal de vendas criado pela Laquila é destaque no portal Motorpress

Laquila inicia venda online de produtos Akrapovic

Por Marcelo de Barros

A Laquila, importadora e distribuidora de peças e acessórios para motocicletas no mercado brasileiro, é a única representante da Akrapovic no Brasil desde 2010 e lançou em abril site exclusivo para compras de mais de 80 produtos da marca internacional, divididos entre ponteiras, escapamentos e acessórios.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

 

 

Casa do Construtor é destaque em matéria sobre Conselho de Gestão Informal da Exame.com

Conselho de gestão informal é boa opção para startups

Por Fabrício Bernardes

São Paulo – Boa parte da solução para os dilemas enfrentados por empreendedores está na troca de experiências entre eles. “É mais proveitoso aprender com quem já passou por problemas semelhantes”, diz Marco Militelli, consultor de pequenas e médias empresas. Uma forma de fazer o negócio crescer sem a necessidade de decidir tudo sozinho é montar um conselho informal.

Trata-se de um grupo de empreendedores e gestores de outras empresas que se reúnem de tempos em tempos para fornecer pontos de vista que o dono não está conseguindo enxergar sobre o próprio negócio ou setor de atuação. Diferentemente do conselho de administração (uma estrutura mais formal e cheia de regras cujo papel é discutir questões estratégicas), o informal ataca pontos específicos enfrentados pelo empreendedor naquele momento.

A seguir, veja quatro exemplos de empreendedores que se beneficiaram de um conselho informal.

Um passo de cada vez

Há quatro anos, Altino Cristofoletti é presidente do conselho informal da Casa do Construtor, do qual também participam seu sócio e mais três conselheiros especializados em finanças, varejo e recursos humanos. Eles se reúnem uma vez por mês.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

exame

Portal da revista No Varejo anuncia a expansão da Arranjos Express no interior de São Paulo

Arranjos Express expande no interior de São Paulo

Rede europeia de lojas de customização de roupas atua há 3 anos no Brasil e possui 30 unidades

Por Mariane Rocigno

A rede europeia de lojas de customização de roupas e costuras Arranjos Express inaugura duas unidades em 15 dias. Uma em Limeira, no Shopping Pátio Limeira, e a outra em Rio Claro, no Shopping Rio Claro, municípios do interior de São Paulo.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Portal No Varejo - 16.07.2015

Portal Hardware indica notebooks da Avell em matéria sobre placas de alta tecnologia

GTX 950M e 960M chegam em março

Por William Plaza

Modelos de notebooks com os chips de ponta da NVIDIA existem aos montes, como por exemplo os apresentados pela MSI no ínicio de Janeiro, dez modelos serão equipados com GTX 970m e GTX 980m, três desses 10 modelos deverão chegar ao Brasil, que são o MSI GT72 Dominator, que vem equipado com uma GeForce GTX980m, MSI GS70 Stealth equipado com a GTX 970M e o MSI GS60 Ghost que também traz a GTX 970M.

Não posso esquecer claro da marca de notebooks de alto desempenho brasileira, Avell, que também conta com modelos equipados com a GTX 970M e 980M, como por exemplo o G1540 MAX SE4 que é equipado com a GTX 970M, já o Titanium G1545 MAX SE traz a GTX 980M, para os mais exigentes ainda há opções como o FullRange G1743 MAX SE que oferece um SLI de GTX980M.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

avell hardware

Uol Tecnologia entrevista Dra. Gisele Arantes, do Assis e Mendes Advogados, sobre a suspensão do WhatsApp no Brasil

Especialistas classificam suspensão do WhatsApp como ‘ilegal e ‘autoritária’

Por Guilherme Tagiaroli e Larissa Leiros Baroni

A ação que exige a suspensão do aplicativo WhatsApp em todo o Brasil na tentativa de obrigar a empresa a cumprir determinações judiciais sigilosas de 2013 foi classificada por profissionais especializados no Marco Civil da Internet como “ilegal”, além de “extremista” e  “autoritária”.

E é justamente por classificar a decisão como “frágil” que Gisele Arantes, especialista em direito digital e sócia do escritório de advocacia Assis e Mendes, disse acreditar que a suspensão tende a ser facilmente derrubada por uma liminar. “Independente dos detalhes da ação, em todos os casos, uma decisão desse porte é rigorosa ao extremo. Há outras formas de alcançar o aplicativo. Acho que essa decisão vai ser derrubada.”

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

uol tec

 

Dra. Gisele Arantes, do Assis e Mendes Advogados, participa de reportagem do Jornal Hoje

Exemplos de tolerância contribuem para aceitação das diferenças no país

Veja a história de uma família que soube conviver e aceitar a orientação sexual do filho que se tornou uma mulher; tolerância com a diversidade

Tudo o que é publicado na internet permance para sempre, se torna eterno. Dificilmente você vai conseguir remover 100% alguma postagem que foi feita na internet, porque ela se difunde muito rápido”, afirma Gisele Arantes, advogada especialista em direito digital.

Para assistir a reportagem na íntegra, clique aqui.