Tag: exposição na mídia

Dra. Sônia Agel, do L.O.Baptista-SVMFA Advogados, fala ao jornal O Globo sobre o setor de petróleo

Para analistas, medida é positiva, mas insuficiente

Por Ramona Ordoñez

RIO – Empresários e especialistas do setor de petróleo reagiram positivamente à possibilidade de flexibilização nas regras dos contratos de concessão para exploração e produção de petróleo.

Para Sônia Agel, do L.O.Baptista-SVMFA Advogados, mudanças nas regras dos contratos são importantes neste momento. “É importante ter uma adaptação dos contratos à uma nova realidade do mercado. Faz todo sentido para a retomada dos investimentos e o setor se tornar competitivo”.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

O Globo_impresso_Dra. Sônia Agel_15_04_2016

 

 

O Estado de S.Paulo entrevista sócio do Miguel Neto Advogados sobre planejamento patrimonial

CEO Externo não está nos planos das empresas familiares

Por Raquel Brandão

Planejamento patrimonial

De olho em sua linha de sucessão, muitos executivos têm procurado planejar a gestão do seu patrimônio antecipando a transferência de seus bens. “É a visão do empresário sobre como seus negócios serão geridos no futuro. Que herdeiro fará o quê”, observa o advogado José Maurício Abreu, sócio da área tributária do escritório Miguel Neto Advogados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Governança corporativa Miguel Neto

 

 

Sorridents ganha destaque na coluna Mercado Aberto, do jornal Folha de S. Paulo

Quer pagar até quando?

Para reverter a fuga do consumidor da classe C, empresas criaram meios de aliviar o pagamento. A rede de clínicas odontológicas Sorridents criou um cartão de crédito próprio, em parceria com o banco Sorocred, e aumentou as parcelas de 14 para 18. A medida foi reação à queda no gasto médio de R$ 850 para R$ 650. “Assim, o cliente pode dividir o pagamento entre o cartão que já tinha e o nosso e não estoura o seu limite”, diz Carla Renata Sarni, presidente da marca.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Folha de S. Paulo impresso - 11.03.2016

 

 

Canal de vendas criado pela Laquila é destaque no portal Motorpress

Laquila inicia venda online de produtos Akrapovic

Por Marcelo de Barros

A Laquila, importadora e distribuidora de peças e acessórios para motocicletas no mercado brasileiro, é a única representante da Akrapovic no Brasil desde 2010 e lançou em abril site exclusivo para compras de mais de 80 produtos da marca internacional, divididos entre ponteiras, escapamentos e acessórios.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

 

 

Graziela Moreno, CEO da ACAD, fala sobre retenção de talentos ao Portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Dia a Dia – Empreendedorismo

6 dicas para reter talentos na sua empresa

Por Talita Monico

A cada nova geração que aparece, as necessidades exigidas das empresas mudam. O ambiente de trabalho está cada vez mais diversificado e isso é essencial para manter os funcionários satisfeitos. “A motivação foi mudando ao longo das gerações, do crescimento demográfico e das megatendências”, explica Graziela Moreno, CEO da Academia de Estratégia (ACAD).

Para ler a notícia na íntegra, clique aqui.

 

 

Costureira da Arranjos Express, especializada em costura e customização de roupas, ensina como transformar um sutiã comum num strappy bra no site Bolsa de Mulher

Strappy sutiã: aprenda a fazer em casa

Por Marianna Feiteiro

O strappy bra é a sensação do momento. A moda foi popularizada pela personagem de Sophie Charlotte na novela Babilônia, da Rede Globo, e rapidamente ganhou a cabeça e armário das fashionistas. A proposta do sutiã com tiras sutiã com tiras é que seja usado por baixo de regatas e blusas cavadas, de modo que as faixas no colo e costas fiquem à mostra.

No comércio virtual, é possível encontrar alguns modelos à venda a partir de R$ 80. Porém, não é preciso desembolsar tanto para ter a lingerie da moda: a costureira Marlene Ramos Barreto da rede Arranjos Express, especializada em costura e customização de roupas, ensina como transformar um sutiã comum num strappy bra usando apenas elástico.

Para ver o passo a passo na íntegra, clique aqui.

Valter Pieracciani, especialista em inovação, fala à IstoÉ Dinheiro sobre tecnologia na indústria automobilística

O futuro chegou

Montadoras e empresas de tecnologia dão a largada na corrida para revolucionar o setor automobilístico mundial. A direção autônoma e as novas tecnologias de propulsão, como a energia elétrica e o hidrogênio, prometem redesenhar os automóveis atuais

Por: Carlos Eduardo Valim

No filme De Volta para o Futuro II, de 1989, os protagonistas Marty McFly e Doc Brown fazem uma viagem no tempo que os leva para 21 de outubro de 2015. O futuro trazia algumas tecnologias impressionantes, como carros e skates voadores. Os fãs da série passaram as últimas três décadas imaginando se o filme acertaria nas suas previsões tecnológicas. Um quarto de século depois, os céus das grandes cidades continuam exclusivos para aviões, helicópteros, drones e pássaros e não há nenhuma indicação de que os automóveis voadores estarão nos ares até outubro, como se viu no cinema.

Mas não se engane: a tecnologia futurística dessa indústria está cada vez mais presente na vida dos motoristas. Eles já driblam o engarrafamento caótico das metrópoles com a ajuda de aplicativos de trânsito e geolocalização e, antes do que você pensa, estarão passeando em veículos autônomos. Os carros de amanhã conversarão com os computadores e sistemas de controle de tráfego e decidirão por onde e como irão ao destino programado, enquanto o passageiro – ou ex-motorista – assiste a um filme ou joga um videogame.

O avanço do carro autônomo pode ser mais rápido do que o esperado. “Não há mais motivos para termos motoristas, a não ser por esporte”, diz Valter Pieracciani, sócio da consultoria de inovação Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, que presta serviços para marcas como Alfa Romeo e Fiat. “A tecnologia vai chegar mais depressa a nós do que imaginamos.”

Para ler a matéria na íntegra, clique nas imagens abaixo:

Casa do Construtor é destaque em matéria sobre Conselho de Gestão Informal da Exame.com

Conselho de gestão informal é boa opção para startups

Por Fabrício Bernardes

São Paulo – Boa parte da solução para os dilemas enfrentados por empreendedores está na troca de experiências entre eles. “É mais proveitoso aprender com quem já passou por problemas semelhantes”, diz Marco Militelli, consultor de pequenas e médias empresas. Uma forma de fazer o negócio crescer sem a necessidade de decidir tudo sozinho é montar um conselho informal.

Trata-se de um grupo de empreendedores e gestores de outras empresas que se reúnem de tempos em tempos para fornecer pontos de vista que o dono não está conseguindo enxergar sobre o próprio negócio ou setor de atuação. Diferentemente do conselho de administração (uma estrutura mais formal e cheia de regras cujo papel é discutir questões estratégicas), o informal ataca pontos específicos enfrentados pelo empreendedor naquele momento.

A seguir, veja quatro exemplos de empreendedores que se beneficiaram de um conselho informal.

Um passo de cada vez

Há quatro anos, Altino Cristofoletti é presidente do conselho informal da Casa do Construtor, do qual também participam seu sócio e mais três conselheiros especializados em finanças, varejo e recursos humanos. Eles se reúnem uma vez por mês.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

exame

Jornal Bom Dia Maranhão, da TV Globo, noticia sucesso da Sorridents Clínicas Odontológicas na região

Pesquisa de mercado é essencial para sucesso nos negócios

Ferramenta ajuda a enxergar se mercado está saturado, por exemplo. Assunto foi destaque da série ‘Ação que Gera Emprego’, do JMTV 1ª Edição

Ter clientes felizes com o serviço que oferece é um dos objetivos da odontóloga e empresária Carla Sarni. Ela se tornou a odontóloga mais conhecida do Brasil pela visão empreendedora que a levou a montar a maior rede de clínicas odontológicas do país.

A história de sucesso começou há cerca de 20 anos, no subúrbio de São Paulo. Filha de família humilde, ela não tinha como sair da faculdade e montar um consultório e foi em busca de emprego. Vieram os dois primeiros e não era o que a jovem dentista esperava da profissão. No terceiro, ela se encontrou. “Apesar do consultório ser muito simples, era limpinho e como o dono não era dentista, ele me entregou para administrar. E, ali, eu comecei a fazer a odontologia que eu queria”, contou Sarni.

Para assistir a matéria, clique aqui.

Estadão entrevista Miguel Neto, do Miguel Neto Advogados, e Celina Ozorio, do escritório L.O. Baptista – SVMFA, para matéria sobre governança corporativa

Transparência é vital contra a corrupção

Em fórum virtual do Estado, especialistas debatem relação entre empresas dos setores público e privado

Em vigor desde janeiro de 2014, a Lei Anticorrupção ganhou peso para balizar a relação entre os setores públicos e privado a responsabilizar a pessoa jurídica, nacional ou estrangeira, por “atos contra a administração pública”.

“Na negociação entre os setores público e privado, todas as intenções devem estar sobre a mesa”, diz Miguel Neto, sócio do Miguel Neto Advogados. Nesse contexto, a existência de um programa efetivo de compliance é importante para que as empresas tenham uma relação transparente com o poder público, avalia Celina Ozorio, especialista em compliance do escritório L.O. Baptista – SVMFA. Para ela, o compliance efetivo funciona como um “seguro” para uma organização.

Para ler os artigos, clique na imagem abaixo:

O Estado de S. Paulo_Dra. Celina Ozorio_05_05_2015

Folha de S.Paulo entrevista Adriano Mendes, do Assis e Mendes Advogados, sobre uso corporativo do WhatsApp para propaganda

Mensagens comerciais no WhatsApp podem prejudicar empresa

Por Filipe Oliveira

O envio de mensagens de propaganda viola os termos de uso do WhatsApp, destinado a comunicação privada e não comercial.

Quem o faz pode ser classificado como “spammer” e ter sua conta banida do aplicativo, alerta o advogado da área do direito digital Adriano Mendes.

Para ler a matéria, clique na imagem abaixo:

 

Folha de SP

 

 

Beatriz Cullen, diretora do IBHE, participa do programa Análise Direta, da RIT TV

Análise Direta – RIT TV

O tema do programa, apresentado por Eduardo Fortunatto, foi “Brasileiro é Hospitaleiro?”.

A entrevistada, Beatriz Cullen, diretora do Instituto Brasileiro de Hospitalidade Empresarial (IBHE), fala sobre o tema nas empresas, o perfil do brasileiro no ambiente de trabalho, a pesquisa realizada pelo Instituto, que homenageia as cinco empresas mais hospitaleiras do Brasil, entre outros assuntos.

Para assistir ao programa na íntegra, clique na imagem abaixo: