Tag: demanda natural

Plano de Negócios, o novo blog da Folha de S. Paulo, conta história de franqueado da rede Doutor Lubrifica

Crise lança demitidos no empreendedorismo, mas falta de planejamento gera riscos

Por Filipe Oliveira

Adriano Amaral, 31, foi demitido da empresa na qual trabalhava havia dois anos e meio como técnico em mecânica em dezembro do ano passado. A companhia reduziu em 90% seu quadro de funcionários.

O desemprego o fez tomar a iniciativa de abrir uma unidade da franquia Doutor Lubrifica, de serviços automotivos, há um mês. Amaral trabalha na cidade de Capão Bonito (SP),  junto com sua noiva. Ele visita os clientes e faz trocas de óleo e ela marca atendimentos e envia orçamentos.

Ele conta que investiu R$ 55 mil para abrir o negócio. O valor inclui taxa de franquia, estoque, capital de giro e um carro. “Tive um pouco de medo da crise, sim. Mas penso que abrir uma empresa é sempre difícil, tudo depende do esforço de cada um”, diz o empresário.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem aqui.

Sorridents participa de matéria na revista Valor Setorial sobre o crescimento de franquias de odontologia

O apelo de um sorriso barato

Clínicas de odontologia crescem este ano devido à contínua valorização da saúde bucal e da estética por parte da população

Por Rita Cirne

O segmento de franquias de odontologia não para de crescer. Mesmo em um ano de recessão econômica, as redes projetam expansão acima de dois dígitos em receitas e unidades.

Para a Sorridents, franquia que começou em 1995, na capital paulista, e é considerada a maior franqueadora de clínicas odontológicas da América Latina, a expectativa é faturar R$ 200 milhões de ano, aumento de 10% em relação a 2015.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Valor Setorial - Junho

Vice-presidente da CGI Brasil comenta novas regras do setor elétrico em matéria de capa do Valor Econômico

Setor elétrico deve inaugurar novas regras com venda da Celg

Por Rodrigo Polito, Daniel Rittner, Murillo Camarotto e Camila Maia

O presidente interino Michel Temer fez a primeira grande alteração na legislação do setor elétrico desde que assumiu o poder, com a Medida Provisória (MP) 735, publicada ontem e que altera trechos de diversas leis, modificando a gestão de encargos setoriais e criando medidas para facilitar a transferência de controle de ativos e privatizações de empresas de energia.

Para Marcos Saltini, vice-presidente da consultoria em serviços em utilities CGI Brasil, as regras simplificam o processo de venda da Celg e demais distribuidoras da Eletrobras, mas as dívidas dessas empresas ainda são um obstáculo. “Para os novos investidores, a MP facilitou ao tornar o processo mais fácil. Mas se o governo não tratar da questão da dívida [da Celg D], acho que ainda não vai resolver”.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Valor Economico CGI

 

 

Revista Valor Setorial, do Valor Econômico, aborda modelo de negócio da rede Doutor Lubrifica

Cautela, apesar do cenário favorável

Baixo investimento e pequeno espaço físico são as vantagens desse modelo, mas é preciso analisar com cuidado as opções do mercado

Por Andrea Vialli

A prestação de serviços em casa é uma das fortes tendências no segmento de franquias detectadas em 2016 pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Um dos motivos é que esse modelo, por dispensar o ponto de venda e por demandar um número reduzido de colaboradores, dilui os custos fixos da operação.

A Doutor Lubrifica, franquia de prestação de serviços automotivos em sistema delivery, aposta nesse segmento. O carro-chefe da marca é a troca de óleo, mas o fraqueado pode agregar outros serviços, como troca de filtros, polimento e enceramento, lavagem ecológica do veículo e higienização de estofados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

entrevista carlos sobre doutor_Revista setorial franquias valor 01_30 JUNentrevista carlos sobre doutor_Revista setorial franquias valor 02_30 JUNentrevista carlos sobre doutor_Revista setorial franquias valor 03_30 JUN

Revista Franquia & Negócios destaca Jin Jin e Casa do Construtor em reportagem sobre a Expo Franchising 2016

Mercado 

Jubileu de Prata

ABF Franchising Expo completa 25 anos em 2016

Novos modelos de negócios

A Jin Jin, marca da holding Halipar, diversificou seus negócios recentemente. O empreendedor poderá optar por quiosque ou restaurante. “Temos um maior ganho de escala, conseguimos garantir a excelência na prestação de serviços aos clientes, além de alavancar o crescimento da rede em nível nacional”, explica o presidente da Halipar, Ricardo José Alves.

A Casa do Construtor também chegará com um modelo mais enxuto na feira.

Para ler a matéria na íntegra, clique nas imagens abaixo:

Franquias e Negocios - pg 42Franquias e Negocios - pg 44

Franquias e Negocios - pg 46Franquias e Negocios - pg 48

GloboNews exibe entrevista com diretor do Grupo VA

Uma das muitas matérias conquistadas pela equipe Ideias & Efeito Comunicação durante a Expo Franchising 2016 foi ao ar na última semana.

Vinícius Almeida, sócio-diretor do Grupo VA – que detém bandeiras de franquias como Doutor Lubrifica, Evolute Cursos, Contab Express e Web4br – falou ao Jornal das Dez, da GloboNews, sobre microfranquias e como atrair investidores em tempos de crise.

Para assistir a matéria na íntegra, clique aqui.

 

Guia de Franquias

 

 

Em matéria sobre repatriação, Estadão publica ponto de vista de advogados dos escritórios Miguel Neto e L.O.Baptista-SVMFA

Repatriação ainda esbarra em dúvidas

Prazo e valores a serem considerados geram questionamentos e contribuinte adia adesão

Por Malena Oliveira

Dúvidas ao aderir ao programa de repatriação de recursos irregulares no exterior ainda fazem o contribuinte parar um passo antes da entrega da declaração. O valor do patrimônio a ser considerado e por qual prazo são os principais questionamentos na hora de prestar contas à Receita Federal.

João Victor Guedes, do L.O. Baptista-SVMFA, diz que há dúvidas quanto à tributação de recursos sobre os quais já incidiram impostos. “Há pessoas que enviaram dinheiro para o exterior entre 1960 e 1990 e pararam de declarar esses recursos no Brasil. Os valores já haviam sido tributados antes de serem mandados para fora”, exemplifica.

Para o contribuinte, o risco maior é o de a Receita considerar inválido o pagamento do “pedágio” para repatriar os recursos e, portanto, não conceder a anistia por crimes financeiros – cuja pena pode chegar a dez anos de prisão. “Algumas questões vão acabar sendo levadas ao Judiciário”, diz José Maurício Abreu, sócio do escritório Miguel Neto Advogados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Estadão Miguel Neto

 

 

Amizade no ambiente profissional é tema de entrevista da diretora da ACAD ao site PEGN

Amizade entre chefe e funcionário é benéfica, mas exige cuidados

Uma relação de amizade dentro do ambiente de trabalho pede maturidade

Por Talita Monaco

A amizade é uma relação de confiança, por isso talvez pareça mais vantajoso ter um amigo trabalhando ao seu lado em vez de um simples colega. No entanto, é preciso ter cuidado ao trazer um relacionamento informal para o ambiente profissional. “A amizade entre líder e funcionário é um assunto bem controverso. Tem seus pontos positivos e negativos”, afirma Graziela Moreno, CEO da Academia de Estratégia (ACAD).

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Especialista do L.O.Baptista SVMFA Advogados fala ao Estadão sobre investimentos em infraestrutura

Infraestrutura ruim tira R$ 150 bi do país

Por Reneé Pereira

A cada ano que o Brasil deixa de investir o mínimo necessário para manter a infraestrutura existente, a economia perde R$ 151 bilhões – valor próximo ao déficit primário calculado para o País em 2016. Apesar da criação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os montantes aplicados de 2003 para cá nunca passaram dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB) – parâmetro mundial que indica o investimento necessário para manter a estrutura existente. A reversão desse quadro é uma das promessas do governo de Michel Temer, que criou uma secretaria especialmente para tocar os projetos do setor.

No mercado, algumas fórmulas começam a ser desenhadas para tentar resolver o problema, como um mix de dinheiro do BNDES com bancos internacionais de fomento, como o Banco Mundial. “Nesse momento, debêntures não seriam uma boa alternativa, pois esbarram na confiança”, diz o sócio do escritório L.O.Baptista, Fernando Marcondes.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Estadão Fernando Marcondes

 

 

Especialista em recuperação de crédito da PH3A fala ao jornal O Globo sobre renegociação de dívidas

Os direitos na hora de renegociar as dívidas

Com desemprego em alta, especialistas apontam quais os cuidados de quem precisa acertar as contas

Por Ione Luques e Priscilla Aguiar Litwak

Neste momento de crise, órgãos de defesa do consumidor alertam que há direitos a se defender nas renegociações de dívidas.

Marcelo Monteiro, especialista em mercado de recuperação de créditos e diretor de Novos Negócios da PH3A, diz que, ao renegociar, seja com banco, loja ou prestador de serviço, o mais importante é analisar os aspectos financeiros da dívida: se o valor está correto, se os juros aplicados são os contratados, se as condições propostas são justas e se cabem no bolso do devedor.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

O Globo Ph3a

 

 

Revista Gestão & Negócios destaca solução desenvolvida e implementada pela Finnet na GA.MA Italy

Automatização – Documentos fiscais

Com o objetivo de aperfeiçoar os processos financeiros e administrativos do universo corporativo a partir de soluções tecnológicas, a Finnet implantou na GA.MA Italy – empresa de pranchas, secadores, máquinas de corte de cabelo e produtos para a saúde e beleza – a ferramenta Gestão de Documentos Eletrônicos Fiscais (GDe-web).

Para ler a nota na íntegra, clique na imagem abaixo:

Radar corporativo - Finnet

 

 

Dra. Sônia Agel, do L.O.Baptista-SVMFA Advogados, fala ao jornal O Globo sobre o setor de petróleo

Para analistas, medida é positiva, mas insuficiente

Por Ramona Ordoñez

RIO – Empresários e especialistas do setor de petróleo reagiram positivamente à possibilidade de flexibilização nas regras dos contratos de concessão para exploração e produção de petróleo.

Para Sônia Agel, do L.O.Baptista-SVMFA Advogados, mudanças nas regras dos contratos são importantes neste momento. “É importante ter uma adaptação dos contratos à uma nova realidade do mercado. Faz todo sentido para a retomada dos investimentos e o setor se tornar competitivo”.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

O Globo_impresso_Dra. Sônia Agel_15_04_2016

 

 

O Estado de S.Paulo entrevista sócio do Miguel Neto Advogados sobre planejamento patrimonial

CEO Externo não está nos planos das empresas familiares

Por Raquel Brandão

Planejamento patrimonial

De olho em sua linha de sucessão, muitos executivos têm procurado planejar a gestão do seu patrimônio antecipando a transferência de seus bens. “É a visão do empresário sobre como seus negócios serão geridos no futuro. Que herdeiro fará o quê”, observa o advogado José Maurício Abreu, sócio da área tributária do escritório Miguel Neto Advogados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Governança corporativa Miguel Neto