Category: Miguel Neto Advogados

caso neymar

Caso Neymar é destaque de resultados da Assessoria de Imprensa para o Miguel Neto Advogados

As discussões sobre fraude fiscal na venda do jogador Neymar ao Barcelona Futebol Clube rederam bons resultados de Assessoria de Imprensa para o Miguel Neto Advogados, escritório cliente da Ideias & Efeito.

A banca atende ao D.I.S. Esporte e Organização de Eventos, empresa do Grupo Sonda e parceiro estratégico do Santos F.C., que investiu no desenvolvimento do atleta durante a sua trajetória no clube paulista.

Read More

VALÉRIA ZOTELLI, DO MIGUEL NETO ADVOGADOS, É FONTE DO VALOR ECONÔMICO EM MATÉRIA SOBRE PARCELAMENTO DE DÍVIDAS FEDERAIS

O Valor Econômico publicou matéria sobre o Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) criado a partir da medida provisória 783. O programa versa sobre o parcelamento de dívidas federais e oferece mais benefícios do que a versão anterior, lançada em Janeiro deste ano por meio da MP 766.

Segundo a matéria, quem aderiu à MP 766 terá dificuldades para migrar para o novo programa, embora ele ofereça soluções mais vantajosas de quitação de dívidas – como abatimento de até 50% de multa e até 90% em juros para pagamentos à vista.A advogada Valéria Zotelli, sócia do Miguel Neto Advogados, falou sobre como o decreto legislativo da MP 783 regulamenta melhor a questão de quitação de débitos federais. Segundo ela, a Medida Provisória  teve pouca adesão por conta do volume de débitos: “Só entrou na MP 766 quem tinha um prejuízo fiscal gigantesco e que a curto prazo não poderia ser utilizado em operação futura. O novo parcelamento é mais interessante e tem gerado mais procura”, disse ela.

Confira a matéria completa na imagem abaixo.

Clipping_Valor Econômico Online_Dra. Valéria Zotelli_14.06.17

Coletiva de imprensa de DIS e Miguel Neto Advogados sobre caso Neymar Jr. repercute globalmente

Delcir Sonda, sócio-proprietário da DIS, e Paulo Nasser, do Miguel Neto, falaram sobre o processo de corrupção que envolve o jogador na Espanha

A Ideias & Efeito Comunicação organizou, na última quarta-feira, 29, a coletiva de imprensa da DIS Esportes e Eventos e do Miguel Neto Advogados para esclarecer os últimos avanços da ação penal que moveram contra Neymar Jr. O jogador é acusado de corrupção nos negócios relativos à sua contratação pelo clube FC Barcelona entre 2011 e 2013.

A entrevista recebeu mais de 20 jornalistas de veículos nacionais e internacionais, como ESPN, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, Fox Sports, Globo Esporte e Agência EFE. A repercussão foi global.

No Hotel Renaissance, em São Paulo, o sócio-proprietário da DIS, Delcir Sonda, acompanhado do advogado da DIS no Brasil e sócio do escritório Miguel Neto Advogados, Paulo M. Nasser, se pronunciaram e apresentaram, em primeira mão, as novidades e as perspectivas do caso neste momento que antecede o julgamento na Espanha.

Além deles, estiveram presentes na entrevista o diretor-executivo da DIS, Roberto Moreno, e o advogado da DIS na Espanha e sócio-diretor do escritório lus+aequitas abogados, Eliseu Martínes.

 

 

 

 

Paulo Nasser, do Miguel Neto Advogados, comenta caso Neymar em matéria do Estadão

Estafe de Neymar rebate DIS e diz que craque não será preso

Empresa do jogador chama grupo responsável pela ação na Espanha de ‘ganancioso’

Por Gonçalo Junior

A empresa NN Consultoria, responsável pela gestão de carreira do atacante Neymar, comentou a decisão da Justiça da Espanha que rejeitou os recursos apresentados pelo jogador, Barcelona, Santos, a empresa N&N e a mãe do jogador, Nadine Gonçalves, contra a acusação de corrupção e fraude na negociação do craque, em 2013.

O grupo de investimento brasileiro DIS, que era dono de 40% dos direitos de transferência de Neymar, recorreu à Justiça espanhola afirmando ter recebido menos do que deveria pela transferência do jogador do Santos ao Barcelona em 2013. “Ganhamos o recurso do Neymar e do Barcelona e agora não tem mais saída, pois todos ‘sentarão’ nos bancos dos réus e podem pegar até cinco anos de cadeia”, afirmou Paulo Nasser, advogado da DIS, logo após a decisão da Justiça espanhola.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

 

Em matéria sobre repatriação, Estadão publica ponto de vista de advogados dos escritórios Miguel Neto e L.O.Baptista-SVMFA

Repatriação ainda esbarra em dúvidas

Prazo e valores a serem considerados geram questionamentos e contribuinte adia adesão

Por Malena Oliveira

Dúvidas ao aderir ao programa de repatriação de recursos irregulares no exterior ainda fazem o contribuinte parar um passo antes da entrega da declaração. O valor do patrimônio a ser considerado e por qual prazo são os principais questionamentos na hora de prestar contas à Receita Federal.

João Victor Guedes, do L.O. Baptista-SVMFA, diz que há dúvidas quanto à tributação de recursos sobre os quais já incidiram impostos. “Há pessoas que enviaram dinheiro para o exterior entre 1960 e 1990 e pararam de declarar esses recursos no Brasil. Os valores já haviam sido tributados antes de serem mandados para fora”, exemplifica.

Para o contribuinte, o risco maior é o de a Receita considerar inválido o pagamento do “pedágio” para repatriar os recursos e, portanto, não conceder a anistia por crimes financeiros – cuja pena pode chegar a dez anos de prisão. “Algumas questões vão acabar sendo levadas ao Judiciário”, diz José Maurício Abreu, sócio do escritório Miguel Neto Advogados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Estadão Miguel Neto

 

 

O Estado de S.Paulo entrevista sócio do Miguel Neto Advogados sobre planejamento patrimonial

CEO Externo não está nos planos das empresas familiares

Por Raquel Brandão

Planejamento patrimonial

De olho em sua linha de sucessão, muitos executivos têm procurado planejar a gestão do seu patrimônio antecipando a transferência de seus bens. “É a visão do empresário sobre como seus negócios serão geridos no futuro. Que herdeiro fará o quê”, observa o advogado José Maurício Abreu, sócio da área tributária do escritório Miguel Neto Advogados.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Governança corporativa Miguel Neto

 

 

Estadão entrevista Miguel Neto, do Miguel Neto Advogados, e Celina Ozorio, do escritório L.O. Baptista – SVMFA, para matéria sobre governança corporativa

Transparência é vital contra a corrupção

Em fórum virtual do Estado, especialistas debatem relação entre empresas dos setores público e privado

Em vigor desde janeiro de 2014, a Lei Anticorrupção ganhou peso para balizar a relação entre os setores públicos e privado a responsabilizar a pessoa jurídica, nacional ou estrangeira, por “atos contra a administração pública”.

“Na negociação entre os setores público e privado, todas as intenções devem estar sobre a mesa”, diz Miguel Neto, sócio do Miguel Neto Advogados. Nesse contexto, a existência de um programa efetivo de compliance é importante para que as empresas tenham uma relação transparente com o poder público, avalia Celina Ozorio, especialista em compliance do escritório L.O. Baptista – SVMFA. Para ela, o compliance efetivo funciona como um “seguro” para uma organização.

Para ler os artigos, clique na imagem abaixo:

O Estado de S. Paulo_Dra. Celina Ozorio_05_05_2015