Category: E-Net Security

Wanderson Castilho, da E-net Security, fala sobre detecção de mentiras ao programa A Liga, da TV Bandeirantes

A Liga – Infidelidade

Quando o assunto é infidelidade, geralmente há alguém escondendo a verdade. Wanderson Castilho, diretor da e-Net Security, é perito forense e especialista em detecção de mentiras.

Ele é o único brasileiro certificado pelo Instituto para Treinamento de Análises Corporais, dos Estados Unidos, que já formou mais de 20 mil pessoas, incluindo agentes do FBI e CIA. 

Para assistir a matéria completa, clique nos links abaixo

http://www.youtube.com/watch?v=zOVltn7wHdE

http://www.youtube.com/watch?v=aZt3hvXzdm4&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=QN2voevNEA0&feature=related

 http://www.youtube.com/watch?v=Z_7BSBGhFwk&feature=related

 http://www.youtube.com/watch?v=MgNtZcmaHj0&feature=related

 http://www.youtube.com/watch?v=YtPdaCGk0OY&feature=related

Wanderson Castilho, perito em crimes digitais e diretor da E-net Security, fala ao jornal O Globo sobre software que detecta mentiras

A tecnologia que não mente

Por André Machado

A mentira tem pernas curtas, diz o ditado. E, na era da tecnologia, elas são mais curtas ainda. Wanderson Castilho, perito forense em tecnologias digitais e diretor da empresa E-Net Security, em Curitiba, é no Brasil o equivalente ao dr. Cal Lightman (veja quadro), personagem do ator Tim Roth na série “Lie to me”, capaz de perceber na hora que alguém está mentindo e desmascará-lo.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

 

Wanderson Castilho, da E-Net Security, fala ao Estado de Minas sobre a perda de privacidade gerada pela internet

Nas barras dos tribunais

Por Shirlei Pacelli e Silas Scalioni

Um depoimento no Orkut pode comprovar uma má conduta na vida real. Roberto Cunha*, de 44 anos, se valeu disso para conseguir resolver uma pendência judicial. Separado há cerca de cinco anos, ele continuava a depositar a pensão do filho que já havia alcançado a maioridade e, segundo ele, tinha um desvio de comportamento e não usava o dinheiro para pagar os estudos, como alegava. Contrariado, o pai criou um perfil falso no site e começou a espionar a página do filho, que permitia o acesso de todos. O juiz considerou as provas encontradas e baixou a pensão para um valor irrisório.

Wanderson Castilho, 40, perito digital e autor do livro Manual do Detetive Virtual, mostra que quanto mais a internet se espalha, mais a privacidade das pessoas diminui.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Wanderson Castilho, da E-Net Security, fala ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, sobre o que fazer quanto às armadilhas virtuais

Golpistas usam nome da Receita para roubar informações de contribuintes

Tem golpista usando o nome da Receita Federal para roubar informações pessoais de contribuintes. A internet facilita a vida e no Brasil já são 70 milhões de usuários, mas é preciso ficar atento às armadilhas que chegam pelo computador.

O perito em crimes digitais Wanderson Castilho diz que ao acessar uma página falsa, o usuário pode permitir a entrada de um programa que vai pegar senhas e número de documentos. Por isso, a recomendação é ter sempre um antivírus instalado. “Não existe nenhuma ferramenta ou nenhum site 100% seguro na internet. Contudo, quanto mais requisitos de segurança você coloca, maior a probabilidade de você não se tornar uma vítima”, ressalta.

Para assistir a matéria na íntegra, clique no link abaixo:

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/07/golpistas-usam-nome-da-receita-para-roubar-informacoes-de-contribuintes.html

Wanderson Castilho, diretor da E-NET Security, ganha destaque na Revista Gloss com técnica para detectar sinais de mentira

Jogo da verdade

Por Silvia Amélia de Araújo

Quando contamos uma mentira geralmente tentamos comunicar com o corpo todo uma emoção diferente da que estamos sentindo.  Não é suficiente dizer que  gostamos daquilo de que não gostamos. Também acrescentamos sorrisinho ou um gesto convincente.  Mas no meio desse esforço para convencer o interlocutor, o cérebro acaba se atrapalhando e exagerando  certas reações. E quem tem um olhar mais treinado pode sacar tudo na hora. O físico brasileiro Wanderson Castilho, perito em crimes digitais, passou por um treinamento direcionado a agentes da CIA e do FBI que ensina a detectar sinais de mentira. Ele ajuda em investigações policiais e em entrevistas  para cargos importantes de grandes empresas. “Precisamos mentir o tempo todo para evitar magoar alguém. Mas, quando a mentira é contada apenas em benefício do mentiroso, vale a pena saber detectá-la”, diz.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Wanderson Castilho fala sobre segurança nas operações em internet banking ao jornal Folha de S. Paulo

Internet já é o 2° maior canal bancário

Por Felipe Vanini Bruning

O internet banking brasileiro é o segundo canal de serviços mais utilizado pelos clientes, atrás apenas dos caixas automáticos (31%), respondendo por 23% das operações bancárias efetuadas no Brasil, segundo dados da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Segundo Wanderson Castilho, especialista em crimes eletrônicos da consultoria E-Net Security, a maioria das vítimas de fraudes virtuais no internet banking são usuários novos de informática, que acabam cedendo espontaneamente suas informações bancárias.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Perito em crimes digitais, Wanderson Castilho, é entrevistado pela revista Gestão & Negócios sobre o crescimento da informatização das PMEs

Por Milena Parente

Tecnologia para PMEs

Manter a empresa atualizada tecnologicamente nem sempre é algo fácil e barato. E quando se trata de micro, pequenas e médias empresas, o assunto pode ser assustador para seus gestores. Pode, mas não deveria. Hoje em dia os empreendedores podem ter acesso a uma alta tecnologia por um custo menor, diferente da realidade de alguns anos atrás. Isso é possível graças ao avanço das tecnologias, da internet e também de empresas que pensam seus serviços para esse segmento que precisa expandir e atualizar-se e nem sempre dispõe de capital para isso.

Atualmente, tecnologias informatizadas que somente grandes empresas tinham acesso passaram a estar disponíveis para as empresas de menor porte, como soluções completas de segurança (que vão além do antivírus e passam a integrar recursos de filtro de conteúdo, firewall, antiSPAM, analisador de URL, etc.), softwares e aplicativos para virtualização e cloud computing, dentre outros.

O especialista em perícia digital, Wanderson Castilho, confirma a crescente demanda para este segmento, que passa a ter acesso às mesmas tecnologias de empresas de grande porte, porém, direcionadas para o seu foco e atuação.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo:

Wanderson Castilho conta à revista Galileu quais são as técnicas empregadas para detectar mentiras em diversos casos

Ele sabe quando você mente

Para ele, mentir não é falta de caráter. “Você já viu alguém se dar bem com o chefe sendo sempre franco?” Mesmo assim, o curitibano Wanderson Castilho, de 40 anos, vive desmascarando quem não diz a verdade. A tarefa somou-se ao seu trabalho como perito em segurança digital desde que se especializou em detecção de mentira pelo Instituto para Treinamento em Análises Comportamentais nos Estados Unidos, a mesma organização que treina agentes da CIA e do FBI.

Para ler a matéria na íntegra, clique no imagem abaixo:

Jornal Hoje, da TV Globo, consulta Wanderson Castilho, perito em crimes digitais, e Victor Haikal, especialista em Direito Digital do PPP Advogados, em reportagem sobre ofensa online

Agressão virtual é cada vez mais comum e pode ser punida com prisão

Por Ana Brito

Existem páginas na internet criadas para ofender mulçumanos, nordestinos e também uma professora. A agressão virtual é crime.

Em um primeiro momento, a vítima de agressão virtual se sente perdida. Afinal, é difícil ficar exposta a milhares de pessoas e reagir a um agressor invisível, mas o crime é cada dia mais comum. Existem maneiras de se proteger e punir os responsáveis.

O primeiro passo é procurar a empresa responsável pela página. “Toda página de relacionamento, toda rede social que se preze, tem um botãozinho para você fazer uma denúncia”, garante Wanderson Castilho, perito em crimes digitais.

Os crimes mais comuns cometidos pela internet são: calúnia, difamação, injúria e discriminação. “O crime de discriminação é o mais grave, pode ser punido com prisão. Todos os outros provavelmente serão substituídos por uma pena alternativa”, explica Victor Haikal, advogado especializado em direito digital.

Para ter acesso ao vídeo na íntegra, clique abaixo:

agressao-virtual-e-cada-vez-mais-comum-e-pode-ser-punida-com-prisao.html

Perito em crimes digitais Wanderson Castilho ensina, no Fantástico, como detectar mentiras

Método detecta mentiras analisando expressões faciais

Por Felipe Santana

As emoções são as mesmas, quer você seja dona de casa, um homem bomba ou um político no Brasil ou no Japão. A verdade pode não ser o que você fala. A verdade está na cara.

Um detetive chega dos Estados Unidos com um metódo revolucionário na mala. Ele analisa microexpressões faciais. E flagra mentirosos.

Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos. Tentou negar o caso com a estagiária. “Ele não sincroniza a velocidade de fala com o movimento das mãos. Normalmente pisca dez a 15 vezes por minuto”, analisa o detetive Wanderson Castilho.

Somália, jogador do Botafogo, foi à TV declarar que tinha sido sequestrado.

“Se você notar, as piscadas são rápidas. Mas depois ficam lentas, porque o cérebro não quer ver aquela mentida contada”, diz o detetive. “O cérebro sabe a verdade.”

Para assistir a matéria na íntegra, clique no link abaixo

0,,MUL1655756-15605,00-METODO+DETECTA+MENTIRAS+ANALISANDO+AS+EXPRESSOES+FACIAIS.html

Wanderson Castilho revela método de detecção de mentiras dedicado ao RH das empresas em matéria para a revista Época

Seu inglês é fluente?

Por Humberto Maia Junior

Pesquisadores estimam que quatro em dez candidatos mintam de alguma forma no currículo e na entrevista de emprego. De mentiras que pouco afetam o desempenho, como dizer que viajam para o exterior todos os anos, a outras mais graves, como inflar seu grau de domínio de outros idiomas. Há no mercado um programa de computador que promete proteger as empresas contra a lábia dos candidatos fingidos, chamado Face Reading.

O sistema funciona assim: primeiro, o entrevistador faz perguntas básicas, como nome, idade, número de filhos. Uma câmera grava as respostas e manda as imagens para um computador. O objetivo é identificar mínimos detalhes das expressões faciais do sujeito quando ele diz a verdade. Captado o padrão, o entrevistador começa a fezer as perguntas relevantes. Se o entrevistado mudar o padrão facial, pode ser sinal de mentira. “Esse padrão varia de pessoa para pessoa”, diz o empresário Wanderson Castilho. Ele trouxe o sistema dos Estados Unidos, onde foi produzido por uma companhia chamada Noldus.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui

Perito em crimes digitais, Wanderson Castilho, é entrevistado pela IT Web TV sobre detecção de mentiras

Software reconhece mentiras por sinais faciais

Por Felipe Dreher

Wanderson Castilho, diretor da e-net security, fala sobre tecnologias e técnicas usadas para reconhecer quando uma pessoa está mentindo. Durante a entrevista, o especialista em perícia digital testa o equipamento utilizado pela CIA e pelo FBI.

Para ver a entrevista na íntegra, clique aqui:

index.asp

Wanderson Castilho, da E-Net Security, fala sobre detecção de mentiras para a TV ISTOÉ. Entrevista é também veiculada pelo Portal Terra

Detector de mentirosos

O principal perito brasileiro em crimes digitais e também especialista em análise comportamental através das micro expressões facias, Wanderson Castilho, falou à repórter Izadora Rodrigues, da TV IstoÉ, sobre como é possível identificar uma mentira utilizando o mesmo método de avaliação da CIA e do FBI.

O especialista analisou vídeos e mostrou alguns sinais de mentiras. Wanderson Catilho é o único brasileiro certificado pelo BATI – mesmo instituito que treina agentes da inteligência americana – certificado para realizar este tipo de análise.

Para assistir a máteria na íntegra, clique no link abaixo

Detector de mentirosos

Revista IstoÉ: Matéria sobre guerra cibernética conta com opinião do perito em crimes digitais Wanderson Castilho

A primeira guerra digital

Por Hélio Gomes

Na quarta-feira da semana passada, um grupo de terroristas – ou ativistas, segundo os simpáticos à sua causa – treinados, inteligentes e equipados até os dentes com armas de destruição digital em massa passou a tirar o sono de grandes corporações e governos. Em represália à prisão do australiano Julian Assange, fundador do site WikiLeaks, os hackers da organização conhecida como Anonymous (Anônimos, em inglês) derrubaram as páginas de alguns dos líderes da suposta campanha que pretende anular Assange e enfraquecer o seu veículo. Entre os alvos estão as operadoras de cartão de crédito Visa e Mastercard, o site de comércio eletrônico PayPal e o governo sueco, responsável pelo pedido de detenção do ativista de 39 anos, acusado de cometer crimes sexuais no país.

O especialista em crimes digitais Wanderson Castilho, diretor da E-Net Security e autor do livro “Manual do Detetive Virtual”,  afirma que tem  dúvidas se  todos os envolvidos estão protestando. “Muitos aproveitam para checar as brechas dos sites e invadí-los depois”, afirma.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui

Wanderson Castilho, da E-Net Security, e Patrícia Peck Pinheiro, do PPP Advogados, participam de reportagem de capa da revista IstoÉ

O que seu filho faz na internet?

Por João Loes

Na família Gonçalves, as regras de acesso à internet são claras e duras. Com três adolescentes em casa, Alessandra e Antônio Carlos Gonçalves, que vivem em Santos, no litoral paulista, se esforçam para proteger os filhos de tudo o que há de ruim na rede, sem isola-los do mundo de possibilidades culturais, educacionais e de entretenimento que ela pode oferecer. Mas não tem sido fácil, tanto para os pais, que não podem ficar no pé dos filhos sempre que eles estão online, quanto para os garotos, que, como adolescentes, já querem alguma  privacidade e têm sangue encharcado no desejo de transgredir.

Entre os serviços mais acessados estão o onipresente MSN Messenger, o Orkut e o Skype, um sistema que permite fazer ligações telefônicas gratuitas pela internet. “Há programas de controle de acesso para telefones celulares, mas o mercado desse tipo de software ainda é pequeno”,explica Wanderson Castilho, perito em crimes digitais e criador de uma opção de programa para monitoramento remoto para celulares.

Segundo  Patricia Peck Pinheiro, advogada especialista em direto digital e criadora do “Movimento Criança Mais Segura na Internet”, o adolescente está na idade de aparecer. “Eles sempre acham que nunca vai acontecer nada de mal com eles. Mas acontece. E lembrá-los disso é obrigação dos pais”, afirma Peck.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui