Tag: Dinheiro

Estadão conta a história de sucesso da ENOX. Empresa foi selecionada ‘case de empreendedorismo’ pelo Instituto Endeavor

Na mesa do bar, uma ideia de R$ 12 milhões

Enox, empresa de mídia indoor fundada em Curitiba por um grupo de amigos, é selecionada pelo Instituto Endeavor de Empreendedorismo

Por Naiana Oscar

A ideia surgiu numa mesa de bar. os amigos de infância queriam criar um negócio próprio, mas não sabiam com o que nem como começar. “E se a gente fizer propaganda no banheiro?”, sugeriu um deles. De piada, o comentário virou inspiração e tornou-se o ponto de partida da Enox, empresa fundada em 2004, em Curitiba, e selecionada este ano pelo Instituto Endeavor, de apoio aos chamados “empreendedores de impacto”.

Clique na imagem abaixo e leia a matéria na íntegra

Em especial do Meio e Mensagem, Eduardo Tomiya, da BrandAnalytics, fala sobre a intenção de internacionalização por parte de varejistas brasileiras.

Líderes do varejo se fortalecem

Movimentos de fusões e aquisições devem gerar novos desdobramentos em 2010

Por Felipe Porciúncula

As recentes fusões e aquisições na área do varejo, principalmente no segmento de eletroeltrônicos, refletem um momento de crescimento do País e devem gerar novos desdobramentos. Esse setor é vital para o mercado publicitário, já que, mesmo mantendo estabilidade em relação ao ano anterior, o comércio varejista lidera o ranking de 2009 dos que mais investiram em compra de mídia (ver quadro abaixo). A combinação de pelo menos três fatores aponta que este mercado continuará crescendo em 2010: manutenção do crédito, aumento de empregos e elevação da renda.
A movimentação se intensificou em junho do anos passado, quando o Grupo Pão de Açucar anunciou a aquisição da rede Ponto Frio por R$ 824,5 milhões. Seis meses depois, foi a vez da fusão com as Casas Bahia por meio da Globex, controladora do Ponto Frio – negócio que nasceu com faturamento de R$ 18,1 bilhões e 1.015 lojas em 18 Estados brasileiros.

Leia a matéria completa clicando nas imagens abaixo:

Parte 1
Parte 2

Estudo da BrandAnalytics é capa da revista Relações com Investidores

PETROBRAS

A marca mais valiosa do Brasil e a 73ª marca global de maior valor

As pesquisas “As Marcas Mais Valiosas do Brasil” (só marcas brasileiras) e “As Marcas Mais Fortes no Brasil” (marcas nacionais e internacionais presentes no País), desenvolvidas pela BrandAnalytics e publicadas no final de abril pela revista IstoÉ Dinheiro, indicam a Petrobras como a marca mais valiosa do País e a terceira mais forte. A companhia aparece como a 73ª mais valiosa do mundo também no BrandZ – ranking anual da Millward Brown publicado também em abril pelo jornal britânico Financial Times.

por EDUARDO TOMIYA

BrandAnalytics é capa da revista Relações com Investidores

 

 

Leia aqui na íntegra

Ranking exclusivo BrandAnalytics e IstoÉ Dinheiro

As Marcas mais valiosas do Brasil em 2010

As joias do capitalismo brasileiro

O valor das 50 marcas mais valiosas do País ultrapassou a barreira dos R$100 bilhões. Isso revela que os gigantes nacionais estão prontos para competir globalmente.

Carlos Sambrana

Leia mais clicando aqui

BrandAnalytics no Brasil Econômico

PETRÓLEO 2

Estatal tem a marca mais valiosa do país, diz pesquisa da BrandAnalytics e MillwardBrown

Com valor de marca de R$19,3 milhões, a Petrobras lidera o ranking das mais valiosas, à frente de Bradesco (R$14,8 bi), Itaú (R$13,3 bi), Banco do Brasil (R$11 bi), Natura (R$6 bi), Skol (R$5 bi), Brahma (R$2,5), Perdigão (R$2 bi), Casas Bahia (R$1,8 bi) e Sadia (R$ 1,6 bi). Para o gerente executivo da Comunicação Institucional da Petrobras, Wilson Santarosa, esse reconhecimento mostra que a sociedade acredita na Petrobras.

Leia mais clicando aqui

Eduardo Tomiya, da BrandAnalytics no jornal Brasil Econômico

Telefônica muda para Movistar em 2011

O diretor Fabio Bruggioni ratifica interesse em adotar marca espanhola em operação de telefonia fixa no Brasil.

Ruy Barata Neto

A Telefônica deverá assumir a marca Movistar no Brasil em sua operação de telefonia fixa. Ontem, em conferência via internet realizada com blogueiros, o diretor executivo da empresa, Fabio Bruggioni, disse que depois de uma série de investimentos para melhorar a infraestrutura de serviços e o relacionamento com cliente, aplicados entre 2008 e 2009, a operadora se sente pronta para começar em 2011 a adotar a marca Movistar no país.

 

Leia mais clicando aqui

Off Field no jornal Meio & Mensagem

Ciclo de grandes eventos aquece marketing esportivo

Lei de incentivo ao Esporte e escolha do Brasil para sediar a Copa de 2014 e a Olímpiada de 2016 impulsionam a atividade e atraem grupos investidores

Tratado no passado como ação de oportunidade ou plataforma para promoções e eventos, o marketing esportivo brasileiro vem se consolidando nos últimos três anos como disciplina de comunicação independente, cada vez mais desejada pelas marcas. O primeiro grande impulso para sua profissionalização aconteceu com a aprovação, no final de 2006, do Projeto de Lei n° 11.438, de incentivo ao esporte, que abriu u primeiro caminho para que empresas pudessem deduzir no imposto de renda até 1% do volume de recursos aplicado em patrocínio a entidades esportivas.

Leia mais clicando aqui
aqui
e aqui

UNS Idiomas no Brasil Econômico

Escola de idiomas aposta na pressa e oferece cursos rápidos

Alunos querem ganhar tempo na disputa por vaga no mercado de trabalho

Quem precisa se comunicar em uma língua estrangeira tem pressa e acaba, quase sempre, desistindo se o curso não repsonde imediatamente à expectativa. A UNS Idiomas busca este nicho de mercado e deve instalar suas unidades no exterior.

Leia mais clicando aqui

UNS Idiomas no jornal A Crítica de Manaus

UNS coloca Amazonas na sua rota de expansão

O segmento de escolas de idiomas em Manaus, que já anda bastante acirrado, tende a ficar mais disputado ainda nos próximos anos, sobretudo ante a possibilidade de Manaus vir a ser,de fato, uma das subsedes da Copa de 2014. Só para se ter uma ideia, no conjunto Kissia, numa única rua, há cinco escolas de idiomas, uma praticamente ao lado da outra. De olho na expansão desse segmento, com base em dados que mostram potencial a ser aproveitado em Manaus, a rede UNS Idiomas colocou o Amazonas em sua rota de expansão – via franqueados, claro. Para tanto, é necessário que o interessado disponha de R$100 mil a R$130 mil para entrar no negócio.

Leia mais clicando aqui

UNS Idiomas no Diário do Comércio

UNS fecha contratos

A rede de franquias UNS Idiomas avança em seu plano de expansão e comemora os mais de 10 contratos fechados antes do término do primeiro trimestre do ano. Ao todo, são 13 novas franquias em processo de inauguração, que serão instaladas nas regiões Nordeste do país, interior e capital paulista. Até o início de maio, a UNS Idiomas abre as portas em Maceió, Aracaju, São José do Rio Preto, São Carlos, Santo André, Jundiaí e, na capital paulista, os bairros contemplados serão Vila Madalena, Paraíso, Pirituba, entre outros.

Leia mais clicando aqui

Velloza, Girotto e Lindebojm no Valor Econômico

Bancos buscam o reforço do capital

Cristiane Perini Lucchesi e Vanessa Adachi
De São Paulo

Grandes bancos partiram em busca de dívida subordinada, que entra como capital no seu balanço, para fazer frente a mudanças nas regras de capitalização do Banco Central que passaram a vigorar em abril. As alterações trouxeram aperto imediato em um ambiente de aumento no crédito de 20% a 25% neste ano. Com a movimentação, os bancos também se preparam param um abiente regulatório de menor possibilidade de alavancagem, uma tendência mundial, passada a crise de liquidez.

Velloza, Girotto e Lindenbojm no Valor Econômico

Advogada Patricia Peck Pinheiro na revista Veja

…E lar das sacoleiras virtuais

Como um grupo crescente de jovens usa o Orkut para revender roupas e acessórios que comprou em lojas de grifes badaladas

Os brasileiros estão descortinando uma aplicação original e já rentável, para as redes sociais na internet: nelas, começa a florescer um circuito de bazares que vendem, a preço de liquidação, roupas de grifes jovens que já se esgotaram nas lojas. Só no Orkut, nada menos que 1500 perfis foram criados, nos últimos seis meses, com o único propósito de comercializar tais peças. O grupo ganhou até apelido: são as sacoleiras da rede – gente que em geral, não passa dos 30, já almejava abrir uma butique e é dada a comunidades virtuais. Para essas pessoas, as redes sociais não constituem apenas uma vitrine: também ajudam a entender quais são os objetos de desejo do momento. As sacoleiras se aproveitam do fato de que muitas marcas têm como praxe divulgar fotos da nova coleção antes do lançamento – material que submetem ao crivo da clientela potencial, reunida em torno daquelas comunidades cujo assunto número 1 (e 2) é moda.

Leia mais clicando aqui

E-net Security no Estadão

Vigia eletrônico controla traquinagens na web

Pais desconfiados com o conteúdo acessado na internet pelos filhos já têm a quem recorrer. A paranaense E-Net Security, especializada em rastreamento virtual, está lançando o Guarda Costas Virtual. O programa faz o cadastramento dos endereços visitados, enviando um relatório aos pais. A inclusão de palavras-chave proibidas permite o envio de um e-mail imediato no caso de a criança entrar num site indesejado. O serviço custará R$ 50 por mês. O criador do serviço, o perito em crimes digitais Wanderson Castilho, avisa, porém, que o seu uso se restringe a esse fim. “O contrato não admite monitorar marido, esposa, namorado ou colegas de trabalho”, afirma. Então, ta.

Leia mais clicando aqui

David Reck, diretor da Enken, na coluna Bate Papo da IstoÉ Dinheiro

Bate Papo

Leia mais clicando aqui

 

A Enken tem se destacado em mídia digital. Por quê?
A demanda está muito forte. No ano passado, o setor recebeu R$ 1 bilhão em investimento. As empresas mudaram de postura. Incluíram a mídia digital nas estratégias de marketing, diferentemente de antes, quando as campanhas eram muito voltadas ao tradicional.  

Mas a publicidade digital ainda tem fatia pequena.
Sim. No ano passado, apenas 4% dos investimento total foi direcionado à propaganda digital. Mas temos percebido que, ano a ano, o segmento cresce muito acima das demais modalidades de mídia.

Por quê?
Em tecnologia, o Brasil tem os melhore números do mundo. Em acesso de novos usuários à internet, proporcionalmente, somos os primeiros do mundo. Somos também os que ficam mais tempo conectados à internet. O número de celulares é quase um por habitante e nove milhões de usuários navegam na web por meio de smartphones.

O que explica o sucesso das mídias sociais?
A cada ano, vamos ver uma transformação muito grande nesse campo. As pessoas gostam, as empresas também.