Tag: Brasil Econômico

Consultoria Pieracciani participa de matéria sobre inovação no jornal Brasil Econômico

Três perguntas a Valter Pieracciani

Por Natália Flach

O governo fez nova tentativa para estimular a inovação no Brasil. Em abril, reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados(IPI) para montadoras poderem investir em pesquisa e inovação, e, ainda criou o Programa de Sustentação do Investimento, que prevê aporte de R$ 45 bilhões para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No entanto, Valter Pieracciani, sócio fundador da consultoria que leva seu sobrenome, diz que essas medidas não passam de “refresco” para as empresas.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo

 

 

 

Brasil Econômico destaca treinamento exclusivo da Fitness Together

Manter a forma em ambiente exclusivo

Por José Gabriel Navarro

Sobram desculpas aos preguiçosos para não se exercitarem, da falta de tempo a uma possível falta de instrutores atenciosos. Na Fitness Together, cada unidade da rede tem dois ou três estúdios, em que o cliente malha sem colegas e acompanhado de um treinador só para si.

Para ler a nota na íntegra, clique na imagem abaixo

Brasil Econômico destaca modelo de negócios e início das atividades da social commerce Galatea

Venda de móveis ganha espaço em redes sociais

Por Weruska Goeking

Uma social commerce – rede social que permite comercialização – de móveis e objetos de decoração é a aposta de Luiz Camara como empreendedor.

Mas a proposta inovadora não surgiu de maneira tão clara. A história desse negócio começou a ser traçada há cerca de 10 anos, quando Camara ainda trabalhava em uma agência de publicidade. “Eu tinha muitas ideias, fazia anúncios, mas não estava feliz”, conta.

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo

 

Eduardo Morato, da Off Field, fala ao jornal Brasil Econômico sobre Copa 2014 e investimentos de empresas em ações estratégicas

Empresas podem planejar ações para a Copa

Por Priscila Dadona

A Copa do Mundo no Brasil impulsionará a economia em todos setores e deve movimentar R$ 142 bilhões nas 12 cidades-sede. Diante da expectativa de investimentos tão altos, as empresas brasileiras já podem pensar em ações para ligar a sua marca ao futebol. Eduardo Morato, diretor da Off Field, agência de marketing promocional, mostra como se preparar para 2014.

Para ler esta matéria na íntegra, clique no link abaixo

Alexandre Lindenbojm, sócio do Velloza, Girotto e Lindenbojm Advogados, fala sobre IPO ao jornal Brasil Econômico

Mais lenda, ida à bolsa torna-se último degrau

Por Luciano Feltrin

A chegada à bolsa, antes vista como natural e inevitável para empresas de um determinado porte e exposição, vem ganhando um novo roteiro no Brasil.

A Arezzo, fabricante e varjista de calçados, estreou na bolsa na semana passada e já vale mais de R$ 1,8 bilhão, muito mais do que os R$ 76,3 milhões pagos pela gestora Tarpon no final de 2007 para ficar com uma fatia de 25% da empresa.

“Foi uma opção muito inteligente. À época (2007), a empresa não precisava de dinheiro, mas de um parceiro para ajudá-la a mudar de patamar e profissionalizar sua gestão”, lembra Alexandre Lindenbojm, sócio do Velloza, Girotto e Lindenbojm, escritório de advocacia que esteve envolvido na negociação com o fundo de private equity.

Para ler a notícia na íntegra, clique na imagem abaixo.


Brasil Econômico publica artigo exclusivo assinado pelos diretores da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas

Por maiores e melhores investimentos em P&D

Por José Hernani Arrym Filho e Alfonso Abrami (sócios da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas)

O ex-ministro da Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende comentou recentemente sobre os importantes avanços conquistados no Brasil em seu setor, principalmente quanto à pesquisa básica desenvolvida pelas universidades e seus pesquisadores. Destacou também o incremento de publicações afins e do número de mestres e doutores (11 mil no ano passado).

Para ler o material na íntegra, clique na imagem abaixo.

28.01.11 Artigo Brasil Econômico "Por maiores e melhores investimentos em P&D"

Curso da UNS Idiomas é destaque na seção Educação e Inovação, do jornal Brasil Econômico

UNS Idiomas molda curso para atender adultos em 18 meses

Por Micheli Rueda

De olho na ascensão econômica da classe C, a UNS Idiomas, rede especializada no ensino da língua inglesa em 18 meses, moldou seu curso para atender adultos que têm necessidade de rápido aprendizado. Sem férias e recesso, o conteúdo é distribuído em três horas de aulas semanais, com a opção de uma hora adicional às sextas-feiras. “Trabalhamos com executivos ou pré-executivos, na faixa de 20 a 40 anos, que buscam ingressar no mercado de trabalho ou visam alguma promoção”, afirmou Marcel Magalhães, diretor-presidente da rede de idiomas.

Clique na imagem abaixo para ler a reportagem.